viagens

London calling

Meu blog, como já sabem, não tem grandes pretensões, seja de servir de guia ou entrar nessa onda de lifestyle. É blog diarinho mesmo, desavergonhado, que geralmente só serve para eu guardar certas memórias e dividir com quem quer saber de mim o que anda acontecendo na minha vida. Mas nesse post vou me dar a liberdade de dividir algumas dicas porque Londres me demandou muita pesquisa, surgiram algumas surpresas e acho que posso sim ajudar quem estiver pensando em ir pra lá. Mas de novo, sem grandes expectativas, só o que eu contaria para qualquer amigo sobre o lugar.

(E pelo menos dessa vez eu não esqueci de fazer o post porque eu sempre esqueço e o tempo passa, e aí não conto nada pra ninguém)

Esse ano, julho foi o meu mês. Aconteceram tantas, tantas coisas que eu resolvi me dar de presente de aniversário minha primeira viagem sozinha. Engraçado né, com 35 anos na cara essa foi a primeira vez que viajei sozinha mesmo, sem ninguém no lugar de destino, só eu e eu.

Londres era um sonho antigo, de menina, vendo os clips das Spice Girls. Tava mais de na hora de realizar.

img_20190729_234231_342

Eu resolvi que iria fazer um tour a pé pelos pubs, com uma pegada literária, e um tour de barco. Só, de resto eu mesma iria onde eu quisesse. Melhor coisa, porque Londres tem tanta coisa pra ver que eu preferi fazer uma visita rápida em vários lugares e poder ver mais, do que tour completinhos e demorados. Mas claro, isso porque foi a minha primeira visita e eu só tinha 4 dias, então queria mais quantidade que qualidade.

20190729_222224

img_20190729_234231_345

O tour de barco fiz em um pacote com a London Eye, e achei que valeu a pena porque em 40 minutos vimos muita coisa e o guia-capitão era muito divertido, contando curiosidades do 007 e afins. . A vista da roda gigante é legal, mas…. é só isso, vista da cidade. É legal mas eu não colocaria na categoria imperdível. Mas no pacote, de novo, valeu a pena.

20190728_112427

img_20190728_120325_309

20190728_120516

Camden

20190729_093414

Camden é um dos bairro mais hipster (pronto, falei) de Londres. Parte da sua nova fama vem do fato que a Amy Winehouse morava ali, e é tido como um lugar super alternativo e diferente. Sim e não. O mercado do Camden é super legal, com várias coisas realmente originais de decoração, roupa, acessórios, e ainda tem uma parte de comida bem diversificada.

img_20190729_110308_658

20190729_111354

As lojas ao redor, no entanto, achei beeeem decepcionante. Muita tranqueira chinesa, muita camiseta tudo igual e copiado, muita coisa bem pega turista. Acho que vale a pena para um passeio, pelo mercado, pela comida, mas não é mais essa coisa toda não.

 

20190729_134144

E como era segunda-feira aproveitei que era dia de feira de antiguidades e me mandei para Convent Garden. O lugar é lindo, super turístico, tem comida (não muito barata), e muita coisa para comprar.Nas ruas ao redor do mercado você encontra lojas super sofisticadas (recomendo a loja da Nars, fui e amei o atendidmento), tem loja da Melissa, e além disso vários artistas de ruas super talentosos. Parece que para se apresentarem em Londres eles precisam de uma licensa e demonstrar o talento para conseguir a bendita.

img_20190729_182050_321

20190729_142008

Mas se a missão for realmente comprar antiguidades, foca no Jubilee Market, atrás do mercado do Convent Garden. Achei que era menos turístico e tinha tanto ou mais coisas que o Convent.

20190729_144639

20190729_144522

Mas se tem uma coisa que acho que é imperdível em Londres é ir ver um musical no West End. Eu decidi bem de última hora, por isso Wicked e Hamilton só tinha ingressos super caros (varia de acordo com o lugar). Mas achei um com preço bem decente para ver Everybodys Talking About Jamie, e gente, me apaixonei.

20190729_221847

Os atores são impressionantes, porque eles cantam (divinamente) enquanto dançam, atuam, se movem pelo palco. E tudo ao vivo, ali, na sua cara. Saí toda feliz porque esse musical em especial é super leve e… feliz. Recomendo, muito, com força. E eu sou uma pessoa que nunca vê filmes de musical, então perceba.

img_20190729_190257_415

Um lugar bem interessante que fui só porque vi na pesquisa é o Sky Garden. É um dos prédios mais altos da cidade, e na cobertura tem realmente um jardim, além de um café e restaurantes. O mais legal é que se você agendar com antecedência dá para subir de graça, e se tiver sorte tem até balcão aberto. Ótima pedida para fotos e um café, vários turistas ficam lá batendo papo e descansando.

20190730_112703

Eu não tive sorte, porque fui justamente no meu último dia na cidade, e estava super chuvoso. Mesmo assim, adorei.

20190730_112717

20190730_112842

Comida

Se tem um lugar pra comer que eu recomendo de olhos fechado é o Regency Café, para se experimentar o legítimo café da manhã inglês. O lugar é super vintage e tradicional, e turistas e locais dividem o espaço. O dono te atende na maior simpatia, e quando você vai embora grita um tchau Fulano! super simpático. O prato é super bem servido e só vai dar fome muitas horas depois, e não é caro (paguei 6,5 libras com o café).

img_20190729_074258_085

(Detalhe que agora fui ver o site do café e descobri que já foi locação de séries e filmes, olha só!)

Ainda sobre comida, fui surpreendida nesse quesito. Londres tem MUITA comida boa, e em cada esquina. Quase não fui em restaurantes, na maior parte das vezes comi em feiras gourmetizadas, e parece que sempre brota uma no caminho. E aí é pegar o pratinho e achar um lugar pra sentar.

20190729_123601

20190728_123313

 

Para não dizer que não comi em nenhum restaurante, comi no Leon, que quase nem se encaixa nesse quesito. É um fast-food saudável, com ótimas opções veganas e preço decentes. Curti. Ah, e tem vários espalhados pela cidade.

20190730_131010

E ainda tem os pubs pra falar. Eu bebi em vários (valeu tour literário) e comi em um na região Fritzrovia (adorei lá), o The Marquis of Granby, que tem graça para quem fez o tour e saber que Dylan Thomas também bebeu lá (sério, ele bebeu em todos os pubs do bairro). A comida era bem boa, mas não tão barata. Vale pela experiência.

E tem ainda os mercados mesmo, tipo mercado municipal. Tem vários, e todos ótimos para comer, com comida de tudo que é país. E coisas para comprar, jesuis, obrigada Ryanair e a mala pequena, ou eu estava lascada. O que eu mais gostei fui por acidente, no último dia, porque eu fui logo pra estação mas ainda tinha muito tempo pra matar. Pertinho da estação Liverpool Street fica o Spitalfields Market, e eu recomendo DEMAIS esse lindo para uma refeição, comprar, e um café maravilhoso.

20190730_130755

20190730_130430

20190730_130819

20190730_130600

20190730_131228

20190730_130512

20190730_132848

Dicas

  • Faça pesquisa. Londres é enorme, tem muita coisa para ver e fazer, e você vai precisar sim se preparar. Veja o que quer ver, o que é imperdível para você, tenha pelo menos uma lista. Eu não sou muito fã de ter um roteiro muito restrito, tipo programar tudo que se quer fazer em todos os dias de viagem, mas algumas coisas tem que ser agendadas antes. E além disso fica mais fácil fazer as coisas que ficam perto umas das outras juntas, porque o tempo no transito pode ser precioso (nisso eu errei). Mas deixe espaços no seu roteiro porque sempre tem alguma coisa nova que você não tinha ideia no caminho, e poder parar para apreciar é metade da graça de viajar.
  • Se prepare porque a) Londres é cara e b) tem tanta coisa legal pra comprar que dá vontade de levar o mundo e c) você vai gastar. Fiquei até feliz pela mala de mão, porque o estrago seria bem maior se eu fosse despachar bagagem.
  • Reserve tempo para descansar. Aconteceu comigo, morri de tanto andar e teve uma noite que simplesmente não deu, fiquei no hotel de molho para poder encarar o outro dia. Falando nisso…
  • Traga mais de um sapato. Esse foi um erro besta meu, querendo economizar espaço na bagagem (Ryanair, fui com mala de mão, já viu) e isso quase que acabou com os meus pés. Tem que ter pelo menos dois pares para revesar, porque quando a gente anda demais e o sapato fica pegando sempre no mesmo lugar, vira tortura. Vai por mim. E tênis é a melhor opção.
  • A localização da hospedagem é importante. Eu fiquei no Lidos Hotel, no bairro Pimlico (até agora não sei como pronuncia), e adorei. Fica entre duas estação e tem uma linha de ônibus que cruza a cidade e para na porta. Não foi super caro, também não foi o mais barato, mas a localização é tão boa que economizei no transporte.
  • Para andar pela cidade de transporte público o melhor é comprar um Oyster Card. Inclusive, dá pra comprar antes de ir e receber em casa. Ou comprar lá (eu fiz isso), e pedir ajuda para saber quanto colocar no bendito. O funcionário que me ajudou acertou na lata.
  • Use e abuse dos ônibus. É mais barato, mais fresco, e geralmente no andar superior está vazio e é quase um tour. Fora que andar nos tais ônibus vermelhos é todo um charme. E sempre dá pra descer no meio do caminho se encontrar alguma coisa legal.
  • O metrô funciona bem, tem linha pra todo lado, mas é antigo e super abafado. Se for no calor, considere.
  • Dica de app para transporte público: city mapper. Para o transporte em Londres é muito melhor que Google Maps, e tem ótimas instruções. Fora que é atualizado, então se houver manutenção na linha, você vai ficar sabendo.
  • Se for na Kings Cross ver a estação do Harry Potter, tente ir durante a semana. A tonta aqui foi em um domingo, pegou fila pra entrar na loja (na estação mesmo desisti porque era muita gente), e depois descobri que tem uma loja MUITO MAIS LEGAL perto de Convent Garden (House of Spells, 69 – 71 Charing Cross Rd, London WC2H 0NE, UK – ainda sem website). Né.

20190729_133541

Por último… não dê bobeira. Londres é sim segura, mas nenhum lugar é o paraíso. A cidade é grande, tem gente esquisita na rua, tem muito turista e por isso tem ladrão, tem que ficar esperto. Eu viajei sozinha, e só uma noite em que voltei do musical fiquei meio cabreira, mas nada grave. Nada que quem mora no Brasil não se vire, mas de novo, olhos abertos e atentos. Assim cuidado bom bolsas, mochilas, ande onde tem mais gente… aquilo que a gente já sabe.

A tal da preparação

A internet pode ainda ser maravilhosa, e pra essa viagem pesquisa foi essencial. Youtube, eu te amo. Quando comecei a pensar nessa viagem, como eu só teria 4 dias, quis ver o que rolava na cidade e pegar o máximo de informação possível. Aqui tem alguns canais que achei incríveis para quem está planejando uma viagem para as terras da rainha:

Love and London: meu favorito. Feito por uma americana (acho?) e tem dicas para tudo que você imaginar. Super didático, recomendo checar principalmente os roteiros, listas de lugares imperdíveis e sobre transporte público.

Estevam pelo mundo: achei esse canal por causa de Londres e virei fã! O Estevam vai pra tudo que é lugar e as dicas de Londres foram ótimas!

E assim que comemorei essa nova fase na minha vida. Viajar sozinha foi muito mais legal do que eu imaginava, mas sei também que o destino ajudou. Londres é uma cidade maravilhosa, e eu sou obrigada a voltar porque eu só comecei a descobri-la. Espero que as dicas aqui ajudem outros viajantes a se apaixonarem por Londres como eu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s