Holanda · vida de imigrante

Trabalhar na Holanda

Ensaiei muito para escrever esse post porque não tenho pretensão de fazer desse espaço um guia da Holanda – é um blog com foco extremamente pessoal. Mas vejo tanta gente procurando emprego por aqui, que achei válido compartilhar a minha experiência – portanto, de novo, pessoal. Minha intenção é ajudar porque eu sei como é difícil essa fase e eu fui muito ajudada. Se você tem uma experiência diferente, compartilhe!

Primeira coisa, e a mais importante – estabeleça suas expectativas e verifique se estas correspondem à realidade.

Explico: existem áreas em que mesmo sem holandês, só com inglês, você vai achar ótimos empregos. Exemplo mais clichê é TI, que tem muita vaga, e ainda algumas áreas como engenharia ou de conhecimento extremamente específico, como de pesquisa.

Mas por outro lado se assim como eu você é um dos sortudos que fez um curso que só no Brasil vale ou só fazendo tudo novamente por aqui poderia trabalhar na área…. bom, o negócio é encarar a realidade.

Quando cheguei aqui, sendo advogada brasileira, já tinha em mente que não iria mais advogar. Eu decidi que não queria fazer a faculdade de Direito de novo, e no momento não posso encarar um master, mas claro, foi uma decisão pessoal. Eu mesma conheço uma moça que está fazendo Master aqui na área jurídica e acho excelente, e ainda outra que está se candidatando para tal. Mas eu decidi que não tenho tempo, energia ou vontade de seguir esse caminho. Então, baseada na minha decisão pessoal, o que eu fiz foi adaptar as minhas expectativas de “emprego na área” para “primeiro, qualquer emprego”.

Encarar  mudar de área de trabalho por si só já é bem complicado. Adicione mudar de país ao mesmo tempo e vai ter a situação em que eu estava. Então antes mesmo de sair do Brasil eu busquei pensar nas habilidades que usava no meu trabalho até então para focar a minha busca em algo que eu preenchesse o perfil. No meu caso eu sempre lidei com pessoas, gosto disso, e era focada em resolução de problemas. Assim minha opção foi procurar em Customer Care, área que tem muitas vagas e alguns que não se exige holandês. Para melhorar, procurei vagas com exigência de português, porque esse poderia ser o meu diferencial. E agora que finalmente achei e estou trabalhando nessa área estou adorando.

Caso tenha dúvidas vale conversar em grupos de expatriados (recebi muita dica legal por lá), achar pessoas da mesma área aqui, e até mesmo conversar os com recrutadores nas agências. Eles tem todo interesse do mundo em te arrumar emprego afinal, eles vivem disso, e podem dar uma luz para qual área você poderia tentar migrar.

Mas aqui vem outra dica: o único responsável por esse novo caminho é você. Ninguém mais.

Além disso arrumar um primeiro emprego já facilita MUITO as coisas. Pode não ser o emprego dos sonhos (normalmente não é mesmo) mas vai ser uma experiência de trabalho daqui no currículo. Meu primeiro emprego foi qualquer emprego, mas não me arrependo – me deu algum dinheiro enquanto achava algo melhor, e uma maior percepção do ambiente de trabalho aqui. E para quem te recrutar isso vai dar mais tranquilidade, afinal vão saber que você trabalha seriamente. Depois do primeiro, tudo tende a ficar mais fácil.

Para mim a primeira oportunidade foi em logística, trabalhando em armazém (warehouse). Tem muitas vagas nessa área, muitas não pedem holandês (só inglês) e a maioria das contratações são temporárias e por meio das agências de emprego, as chamadas uitzendbureau. Onde eu trabalhei não chegava a ser trabalho pesado, embora braçal. Para achar vagas minha dica é procure no google as agências de emprego perto de você, se cadastre em TODAS, e depois vá pessoalmente, em cada uma. Tomei muito não mas em uma, sim só uma, tive um sim. Depois de falar com o recrutador, na semana seguinte ele tinha me arrumado meu primeiro emprego.

Outra dica é Linkedin. Aqui é muito usado, então atualize o seu pro inglês já, e use a busca por empregos, criando alarmes para os termos que você procura. Foi assim que achei meu emprego atual.

Também vale se cadastrar em sites de procura de emprego (Indeed é um dos mais conhecidos, mas tem vários, é só olhar no Google). E de novo, criar alertas para as buscas, assim você vai receber novas vagas já no email.

Fora isso é persistir, falar com as pessoas, ficar de olho, ir nos eventos das agências. É difícil sim, mas não é impossível, e a Holanda ainda bem está em um ótimo momento econômico. Então, o negócio é correr atrás das oportunidades e aproveitar.

Anúncios

2 comentários em “Trabalhar na Holanda

  1. Olá Fernanda! Muito legal seu post e sua iniciativa em dar dicas para ajudar a encontrar um emprego. Tenho um perfil acadêmico parecido com o seu, também estudei Direito no Brasil e não tenho interesse em seguir nessa área. Gostaria de saber qual o nível de inglês foi necessário para encontrar seu primeiro emprego? Tenho estudado, mas ainda estou no nível B2 (estudando o nível B2), acha que seria suficiente para uma entrevista em uma agência de emprego? Obrigada!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s