vida de imigrante

Nuenen

Ano passado como parte do Brabant Expat Day fui em uma excursão do sempre excelente Holland Expat Center South (aliás vale a pena ficar de olho, os eventos deles são sempre ótimos) para Nuenen, por aqui conhecida como a cidade de Van Gogh.

p_20161022_140823_hdr_zpsjryblhsy

p_20161022_144125_hdr_zpssw0jccvq
Claro que deram stroopwafel de lanche ❤

Ele morou na cidade por alguns anos e foi onde ele pintou o famoso “De aardappeleters”(1885). E como dá para perceber os moradores são extremamente orgulhosos disso.

p_20161022_153325_hdr_zpsf3lfl9dg

Nessa excursão fomos ao ótimo Vincentre, um museu sobre o pintor. Eu fiquei impressionada porque apesar de não ter pinturas originais a exposição é extremamente interessante, já que a trágica vida do pintor é explicada e analisada. Você sai com um novo entendimento das obras justamente por entender o que o levou à produzi-las.

p_20161022_161741_hdr_zps0vahk3r3

p_20161022_150721_hdr_zpsahil7i2j

O registro original da caligrafia do Van Gogh.

p_20161022_151250_hdr_zpssxbnx1vop_20161022_151737_hdr_zpsmxii3u0y

Aqui você consegue ver como era a cidade nos tempos em que ele caminhava ṕor ali, direto dos desenhos dele.

p_20161022_151817_hdr_zps3h2dh5fa

Talvez seja algo que me toque pessoalmente porque uma das minhas memórias favoritas de escola foi em uma aula de arte aos 6 anos em que a professora contou que Van Gogh tinha cortado a própria orelha. Lembro que fiquei pensando nisso por meses.

p_20161022_151829_hdr_zpsh5a7yihs

Ah, e tem fones com tradução em vários idiomas, então todo mundo entende.

p_20161022_151949_hdr_zps2hpjww6g

p_20161022_152105_hdr_zpsm6xhooc6

p_20161022_154121_hdr_zps82ettftw

p_20161022_154404_hdr_zpsquw4wbyo

p_20161022_154418_hdr_zpstv9yflas

p_20161022_154518_hdr_zpsnttactcm

p_20161022_154525_hdr_zpsslz2lpas

Além da vida dele, a exposição ainda mostra a vida da família e como eles o afetavam. O nosso guia não se limitou ao museu – fomos para a rua, ver como Van Gogh ainda está presente em Nuenen.

p_20161022_160721_hdr_zpsv9oy9ncs

A cidade é pequena e no centro tem essas marcações com os pontos de interesse, com explicação em holandês e inglês. Vale a pena ir parando e ouvindo porque mostra como a cidade era nos olhos do pintor.

p_20161022_161254_hdr_zpsjastaro9

p_20161022_161454_hdr_zpsvtxzjslw

p_20161022_161925_hdr_zpst6omtxh4
A casa do pai dele, se eu não estiver enganada….

Aqui o desenho e a vista original.

p_20161022_162752_hdr_zps2uv5mhtp

Se eu não me engano é a casa de uma das paixões dele na época…. Mas a moça não foi autorizada a casar com ele.

p_20161022_163006_hdr_zpswqxib6n7
O povo nem curte a fama do quadro, né

p_20161022_163654_hdr_zpsbtlcmiayp_20161022_163704_hdr_zpsumzhjrldp_20161022_163743_hdr_zpso38501qhp_20161022_163933_hdr_zpsksiuif75p_20161022_164034_hdr_zpsea8osb4rp_20161022_164309_hdr_zpsgyjrrcd3

p_20161022_165223_hdr_zps5vawflec
De aardappeleters agora em 3D. Ah, e tem uma cadeira de onde você pode ter a perspectiva do Van Gogh

Fora Van Gogh em si, Nuenen é uma cidadezinha linda, que vale a pena conhecer. Dizem que dá para ir de bicicleta de Eindhoven – eu fui uma vez só assim, e quase morri, mas sou a mais preguiçosa das criaturas. Com tempo bom vale sentar perto do lago, e ainda curtir o mini zoo para crianças que tem um café lindo de morrer. Saindo um dia de folga com sol vou lá e prometo fotos para o blog. Vale a pena mesmo.

p_20161022_172112_hdr_zpsnwhkwwsb

p_20161022_172440_hdr_zpsw6slbmnw

E para fechar o dia…. culinária holandesa! Sim, ela existe!

p_20161022_183926_hdr_zpsotn8tblh

Advertisements
Holanda · vida de imigrante

Trabalhar na Holanda

Ensaiei muito para escrever esse post porque não tenho pretensão de fazer desse espaço um guia da Holanda – é um blog com foco extremamente pessoal. Mas vejo tanta gente procurando emprego por aqui, que achei válido compartilhar a minha experiência – portanto, de novo, pessoal. Minha intenção é ajudar porque eu sei como é difícil essa fase e eu fui muito ajudada. Se você tem uma experiência diferente, compartilhe!

Primeira coisa, e a mais importante – estabeleça suas expectativas e verifique se estas correspondem à realidade.

Explico: existem áreas em que mesmo sem holandês, só com inglês, você vai achar ótimos empregos. Exemplo mais clichê é TI, que tem muita vaga, e ainda algumas áreas como engenharia ou de conhecimento extremamente específico, como de pesquisa.

Mas por outro lado se assim como eu você é um dos sortudos que fez um curso que só no Brasil vale ou só fazendo tudo novamente por aqui poderia trabalhar na área…. bom, o negócio é encarar a realidade.

Quando cheguei aqui, sendo advogada brasileira, já tinha em mente que não iria mais advogar. Eu decidi que não queria fazer a faculdade de Direito de novo, e no momento não posso encarar um master, mas claro, foi uma decisão pessoal. Eu mesma conheço uma moça que está fazendo Master aqui na área jurídica e acho excelente, e ainda outra que está se candidatando para tal. Mas eu decidi que não tenho tempo, energia ou vontade de seguir esse caminho. Então, baseada na minha decisão pessoal, o que eu fiz foi adaptar as minhas expectativas de “emprego na área” para “primeiro, qualquer emprego”.

Encarar  mudar de área de trabalho por si só já é bem complicado. Adicione mudar de país ao mesmo tempo e vai ter a situação em que eu estava. Então antes mesmo de sair do Brasil eu busquei pensar nas habilidades que usava no meu trabalho até então para focar a minha busca em algo que eu preenchesse o perfil. No meu caso eu sempre lidei com pessoas, gosto disso, e era focada em resolução de problemas. Assim minha opção foi procurar em Customer Care, área que tem muitas vagas e alguns que não se exige holandês. Para melhorar, procurei vagas com exigência de português, porque esse poderia ser o meu diferencial. E agora que finalmente achei e estou trabalhando nessa área estou adorando.

Caso tenha dúvidas vale conversar em grupos de expatriados (recebi muita dica legal por lá), achar pessoas da mesma área aqui, e até mesmo conversar os com recrutadores nas agências. Eles tem todo interesse do mundo em te arrumar emprego afinal, eles vivem disso, e podem dar uma luz para qual área você poderia tentar migrar.

Mas aqui vem outra dica: o único responsável por esse novo caminho é você. Ninguém mais.

Além disso arrumar um primeiro emprego já facilita MUITO as coisas. Pode não ser o emprego dos sonhos (normalmente não é mesmo) mas vai ser uma experiência de trabalho daqui no currículo. Meu primeiro emprego foi qualquer emprego, mas não me arrependo – me deu algum dinheiro enquanto achava algo melhor, e uma maior percepção do ambiente de trabalho aqui. E para quem te recrutar isso vai dar mais tranquilidade, afinal vão saber que você trabalha seriamente. Depois do primeiro, tudo tende a ficar mais fácil.

Para mim a primeira oportunidade foi em logística, trabalhando em armazém (warehouse). Tem muitas vagas nessa área, muitas não pedem holandês (só inglês) e a maioria das contratações são temporárias e por meio das agências de emprego, as chamadas uitzendbureau. Onde eu trabalhei não chegava a ser trabalho pesado, embora braçal. Para achar vagas minha dica é procure no google as agências de emprego perto de você, se cadastre em TODAS, e depois vá pessoalmente, em cada uma. Tomei muito não mas em uma, sim só uma, tive um sim. Depois de falar com o recrutador, na semana seguinte ele tinha me arrumado meu primeiro emprego.

Outra dica é Linkedin. Aqui é muito usado, então atualize o seu pro inglês já, e use a busca por empregos, criando alarmes para os termos que você procura. Foi assim que achei meu emprego atual.

Também vale se cadastrar em sites de procura de emprego (Indeed é um dos mais conhecidos, mas tem vários, é só olhar no Google). E de novo, criar alertas para as buscas, assim você vai receber novas vagas já no email.

Fora isso é persistir, falar com as pessoas, ficar de olho, ir nos eventos das agências. É difícil sim, mas não é impossível, e a Holanda ainda bem está em um ótimo momento econômico. Então, o negócio é correr atrás das oportunidades e aproveitar.